Veias dilatadas – fique atento

Sabemos que as varizes são veias dilatadas, tortuosas que não exercem mais, de forma eficiente, a função de levar o sangue de volta ao coração. Por isso, quando ocorre essa dilatação, um sinal de alerta precisa ser ligado.
Sem o devido tratamento, podem causar feridas e até mesmo ser fator de risco para a trombose venosa profunda, formação de um coágulo dentro da veia que impede a passagem de sangue.

Procedimentos cirúrgicos podem ser empregados, consistem basicamente em eliminar as veias com refluxo e retirando as veias do sistema superficial dilatadas. Existem três indicações para o procedimento: 1) estética, para resolver o problema e prevenir a piora do quadro; 2) funcional, quando as veias estão muito dilatadas e o paciente apresenta sintomas e 3) nos casos de urgência, caracterizados quando o paciente apresenta flebite (inflamação com trombose) da safena magna na coxa que progride para a crossa da safena (região da virilha), levando ao risco de embolia pulmonar.

Os dilatações da veias recebe o nome de varizes. Elas nada mais são do que veias ampliadas e tortuosas. A causa precisa é desconhecida, mas o principal problema provavelmente é a debilidade nas paredes das veias superficiais (localizadas logo abaixo da pele). Essa debilidade pode ser hereditária.

Ao longo do tempo, elas perdem elasticidade, ficando mais compridas e largas. Para que possam se acomodar no mesmo espaço que ocupavam quando eram normais, as veias alargadas ficam mais sinuosas. Elas podem surgir como uma protuberância em forma de serpente sob a pele.

Embora veias varicosas individuais possam ser removidas ou eliminadas por cirurgia ou injeções de material esclerosante, o distúrbio não pode ser curado. Assim, o tratamento principalmente alivia os sintomas, melhora a aparência e evita complicações.

A elevação das pernas — em posição deitada ou utilizando um apoio para as pernas em posição sentada — alivia os sintomas, mas não evita que se formem novas veias varicosas. Em geral aquelas varizes que aparecem durante a gravidez melhoram consideravelmente de duas a três semanas após o parto. Durante esse período, elas não devem ser tratadas.
Gostou do nosso material? Leia também dez dicas para evitar as varizes!