Escleroterapia apenas com cirurgião vascular

De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), cerca de 35% da população brasileira sofre com varizes. Apesar de poder apresentar complicações sérias, como a trombose, é comum que a doença seja relacionada somente a aspectos estéticos, fazendo com que muitos procurem profissionais não especializados para realizarem procedimentos de escleroterapia, também conhecida como aplicação de vasinhos. Pensando nessa negligência, a SBACV lança a Campanha Nacional de Escleroterapia, que busca conscientizar a população sobre a relevância da intervenção médica adequada na recuperação dos pacientes acometidos pelas temidas varizes.

 

“Quando o paciente recorre a uma solução equivocada para as varizes, ele se expõe a um enorme risco. Apesar de parecerem simples a princípio, os métodos de escleroterapia quando mal executados podem causar úlceras graves, manchas escuras, inflamação de veias e até trombose profunda”, explica o presidente da SBACV Regional Ceará, Dr. Frederico Linhares. Além disso, um diagnóstico incorreto pode favorecer a evolução da doença, causando hemorragias e complicações cutâneas nos membros atingidos. Em casos mais graves, pode ocorrer aumento do risco de uma embolia pulmonar devido aos coágulos formados nas veias com o decorrer do tempo.

 

Por esse motivo, os profissionais indicados para a análise da doença são os angiologistas ou os cirurgiões vasculares, já que apenas essas especialidades médicas apresentam o conhecimento adequado para o acompanhamento e tratamento da doença. Portanto, buscar auxílio de um angiologista ou cirurgião vascular garante um diagnóstico da real dimensão do problema e de patologias secundárias, sendo indicado o melhor tratamento a depender do grau da doença varicosa.